As eleições presidenciais e aos Governos Estaduais vão estimular o crescimento das empresas de locação de veículos em até 15% nesse segundo semestre de 2014, conforme estimativas da Associação Brasileira das Locadoras de Automóveis (ABLA), entidade que representa nacionalmente o setor.
 
Na avaliação do Presidente do Conselho Nacional da ABLA, Paulo Nemer, o ano de 2014, que já teria um desempenho acima da estimativa para o Produto Interno Bruto (PIB), refletirá positivamente a realização dos eventos de cunho político. “O crescimento do setor em 2014 deverá ser parecido com o de 2013, que foi de 4,73%, mais do que o dobro do PIB do País”, diz Nemer.
 
O impacto das eleições tende a ser maior do que o da Copa do Mundo, acredita a ABLA. Isso porque o aumento da demanda é menos localizado e ocorrerá por um maior intervalo de tempo, quando comparado ao período do Mundial de futebol. “Enquanto o aumento dos aluguéis na Copa foi sentido apenas nas cidades sede e por, no máximo, um mês, as eleições têm alcance nacional e o seu impacto deve ser sentido ao longo de dois meses, entre setembro e outubro”, diz Nemer.
 
Conforme as projeções da ABLA, o setor deve apresentar um crescimento de oito a dez pontos percentuais durante o terceiro trimestre de 2014, impulsionado pelas eleições. No período, o segmento mais impactado deve ser o de locação mensal de frotas.
 
A partir dos números do setor de locação de veículos, divulgados em maio no Anuário ABLA 2014, as locadoras que atuam no Brasil atingiram juntas em 2013 um faturamento de R$ 6,52 bilhões. Em todo o setor, a expectativa para o mercado é de que as locadoras aumentem entre 15% e 20% a compra de veículos em 2014, em relação ao volume adquirido em 2013.
Artigos Relacionados
Leia mais em Notícias
Comentários estão fechados

 

 
As eleições presidenciais e aos Governos Estaduais vão estimular o crescimento das empresas de locação de veículos em até 15% nesse segundo semestre de 2014, conforme estimativas da Associação Brasileira das Locadoras de Automóveis (ABLA), entidade que representa nacionalmente o setor.
 
Na avaliação do Presidente do Conselho Nacional da ABLA, Paulo Nemer, o ano de 2014, que já teria um desempenho acima da estimativa para o Produto Interno Bruto (PIB), refletirá positivamente a realização dos eventos de cunho político. “O crescimento do setor em 2014 deverá ser parecido com o de 2013, que foi de 4,73%, mais do que o dobro do PIB do País”, diz Nemer.
 
O impacto das eleições tende a ser maior do que o da Copa do Mundo, acredita a ABLA. Isso porque o aumento da demanda é menos localizado e ocorrerá por um maior intervalo de tempo, quando comparado ao período do Mundial de futebol. “Enquanto o aumento dos aluguéis na Copa foi sentido apenas nas cidades sede e por, no máximo, um mês, as eleições têm alcance nacional e o seu impacto deve ser sentido ao longo de dois meses, entre setembro e outubro”, diz Nemer.
 
Conforme as projeções da ABLA, o setor deve apresentar um crescimento de oito a dez pontos percentuais durante o terceiro trimestre de 2014, impulsionado pelas eleições. No período, o segmento mais impactado deve ser o de locação mensal de frotas.
 
A partir dos números do setor de locação de veículos, divulgados em maio no Anuário ABLA 2014, as locadoras que atuam no Brasil atingiram juntas em 2013 um faturamento de R$ 6,52 bilhões. Em todo o setor, a expectativa para o mercado é de que as locadoras aumentem entre 15% e 20% a compra de veículos em 2014, em relação ao volume adquirido em 2013.
Artigos Relacionados
Leia mais em Notícias
Comentários estão fechados

Veja também

Suzuki Jimny vem com novidades na linha 2022

Disponível em quatro versões, SUV traz atualizações estéticas e mantém o mesmo DNA 4×…